Wagner Montes, apresentador e deputado, morre aos 64 anos


Morreu na manhã deste sábado (26), por volta das 11h30, o deputado federal eleito Wagner Montes (PRB). O parlamentar e apresentador de TV tinha 64 anos e estava internado há dois meses no Hospital Barra D'Or para o tratamento de uma infecção urinária. A causa da morte foi choque séptico e sepse abdominal.

Em novembro de 2018, o deputado já tinha sofrido um infarto.

O velório será realizado na Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) em data e horário que ainda serão confirmados pela família.

Wagner Montes foi eleito deputado federal nas últimas eleições pelo Partido Republicano Brasileiro (PRB), com 65.868 votos. Ele estava no terceiro mandato na Alerj.

Casado há 30 anos com a apresentadora Sônia Lima, Wagner também era advogado e apresentava telejornais na TV Record.

Repercussão

Presidente em exercício da Alerj, André Ceciliano (PT) expressou "profunda tristeza" pela morte do "amigo, irmão e companheiro de trabalho".

"A alegria do Wagner, sua capacidade de trabalho e especialmente a habilidade de driblar as dificuldades sempre foram características marcantes de sua personalidade", disse Ceciliano.
"Hoje perdemos uma grande figura, mas o céu ficará mais divertido. Siga em paz, meu irmão. Que deus conforte a família neste momento de dor, toda minha solidariedade à esposa do Wagner, filhos, amigos e colegas de trabalho", emendou.

Colega de Alerj e também eleito para a Câmara dos Deputados, Marcelo Freixo (PSOL) tuitou estar "muito triste".

Muito triste com a notícia do falecimento do querido Wagner Montes, com quem tive um convívio fraterno ao longo de três mandatos como deputado estadual. Minha solidariedade à família e aos amigos.

Colega do PT, Waldeck Carneiro expressou sentimento de pesar em nota. "Quero destacar nessa convivência que tivemos ao longo de toda a legislatura 2015/2018, percebi no Wagner uma figura sempre disposta a acompanhar com olhar crítico e também com olhar irreverente, que também é sua marca, as questões importante e os temas relevantes do Estado do Rio de Janeiro", disse.

O Deputado Estadual Márcio Pacheco (PSC) também prestou homenagem pelas redes sociais. "Minhas condolências aos familiares".

É com pesar que recebi a notícia da morte do meu colega na #Alerj, o deputado #WagnerMontes. Comunicador carismático, defensor das pessoas com deficiência e do povo do Rio, Wagner sempre foi muito cordial e ativo. Minhas condolências aos familiares.

Criado no município de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, o político teve uma infância pobre. Na juventude trabalhou como garçom, vendedor de camisas e açougueiro.

Em 1974, estreou na Rádio Tupi, passando em 79 para a TV, onde apresentou os programas “Aqui e Agora” na extinta TV Tupi e “O Povo na TV” na TVS, hoje SBT. O apresentador comandou diversos programas ligados à música e às causas populares. Ao todo foram 17 anos trabalhando na emissora de Silvio Santos, período em que conheceu a atriz Sônia Lima - no Show de Calouros.

Em 1981, Wagner sofreu um grave acidente a bordo de um triciclo, na Zona Sul do Rio.

Em sua carreira como artista de televisão, Wagner teve destaque apresentando o programa “Balanço Geral”, da TV Record. Seu bordão “escraaacha” era repetido por crianças, jovens e adultos e tornou-se uma marca.

Wagner Montes elegeu-se deputado estadual no ano de 2006, com a expressiva votação de 111.802 votos. Em 2010, com 528.628 votos, destacou-se como o deputado estadual mais votado da história política do Estado do Rio de Janeiro. Seu mandato teve forte atuação nas áreas.

Fonte: Redação 24 Horas News / G1