Fluminense domina o jogo, mas só garante empate com o Cruzeiro no último lance

Reginaldo Pimenta / Agencia O Dia

Rio - O Fluminense se livrou de enorme injustiça e foi salvo no último lance do jogo pelo menino João Pedro, que garantiu o empate em 1 a 1 com o Cruzeiro, no Maracanã, o que manteve aberta a briga por uma vaga nas quartas de final da Copa do Brasil. 

O Tricolor, com 69% de posse de bola, sofreu para fazer gol e ainda viu o adversário marcar com Pedro Rocha na única chance criada pelos mineiros. Quando a derrota parecia certa, o moleque de Xerém desencantou nos acréscimos. A volta no Mineirão será no dia 5 de junho e quem vencer segue na competição.

Enquanto o Fluminense foi dono absoluto do primeiro tempo, o Cruzeiro abdicou. O time de Fernando Diniz manteve o nível de atuação que teve diante o Botafogo, mas seguiu com enorme dificuldade para fazer gol ou até mesmo criar.

Com Léo Artur na ponta esquerda fazendo dupla com Caio Henrique — enquanto Gilberto ficou isolado —, o Fluminense teve muita movimentação e encurralou o Cruzeiro. O problema é que faltou, de novo, infiltração na defesa, jogadas pela direita e presença na área com Yony González.

A troca de passes se resumiu à entrada da área, onde o Tricolor encontrou um muro azul e cometeu erros. Tanto que o Tricolor não teve chance clara de gol, com cinco finalizações para fora.

Mais desorganizado no segundo tempo, o Fluminense bobeou e deixou o espaço que o Cruzeiro tanto aguardava. Numa saída de bola errada, a defesa ficou exposta e Robinho lançou entre os zagueiros para achar Pedro Rocha, que apareceu sozinho para chutar e contar com a colaboração de Rodolfo para abrir o placar no único chute mineiro.

Falha na defesa, ataque no quase. De novo o Fluminense marcou um gol que foi anulado por impedimento, desta vez com Luciano, e Léo Artur também teve sua chance, mas chutou fraco, enquanto o estreante Ewandro isolou dentro da área. E Marcos Paulo ainda chutou no travessão.

Para completar, acabou a paciência da torcida com alguns jogadores. Enquanto o ídolo Fred, no Cruzeiro, saiu aplaudido, Luciano foi vaiado, assim como Rodolfo. O clima era de decepção, até que João Pedro aproveitou sobra na área, após escanteio, para marcar o gol de empate, aos 48. Foi o alívio.

Fonte O Dia / Hugo Perruso