Flamengo perde para o Emelec e se complica na Libertadores

 AFP

Quito - Em noite para ser esquecida, com direito a invenções infrutíferas de Jorge Jesus, o Flamengo, apático, deu vexame em Quito. A derrota por 2 a 0 para o inexpressivo Emelec, ontem, no Estádio George Capwell, obriga o Rubro-Negro a vencer por 3 a 0, quarta-feira que vem, no Maracanã, para ir às quartas de final da Libertadores. Missão que, a julgar pelo desempenho de ontem, será das mais difíceis.

As mudanças feitas por Jorge Jesus antes do jogo, ao que parece, não confundiram só a torcida rubro-negra. Com Rafinha improvisado no meio de campo, na vaga de Cuéllar, e Rodinei mantido na lateral-direita, o Flamengo, perdido, não se encontrou em campo. Melhor para o Emelec, que abriu o placar logo aos 10 minutos. Guerrero bateu cruzado e Godoy, livre de marcação, tocou no canto de Diego Alves, que pulou atrasado.

O Flamengo sentiu o gol. Improdutivo ofensivamente, só assustou em duas finalizações de Gabigol, aos 29 e 42 minutos. No mais, pouca inspiração na busca pelo empate e muita transpiração para não aumentar o prejuízo no placar antes do intervalo — embora o limitado time do Emelec nada tenha feito para merecer vantagem maior.

No segundo tempo, foi a vez de o time equatoriano facilitar as coisas. Apático, o Flamengo pouco melhorou até os 12 minutos, quando Vega foi expulso, após falta dura em Rafinha. Com um jogador a mais, o Rubro-Negro passou a pressionar o Emelec, mas pecando muito nas raras chances de finalizações que criou.

Para piorar, perdeu Diego, lesionado, após Lincoln, Cuéllar e Lucas Silva entrarem em campo. Com as três alterações feitas, o Flamengo também ficou com dez jogadores, se perdeu novamente e sofreu o segundo gol. Aos 33, Guerrero ajeitou para Caicedo bater de primeira, a bola desviar em Renê e entrar no canto de Diego Alves. Renê, aos 40, ainda acertou uma bola na trave, mas o Rubro-Negro, apático e desesperado, não teve forças para diminuir o vexame em Quito.

Fonte: O Dia