Ataque em escola na Finlândia deixa ao menos um morto e 10 feridos

Foto: Hannu Rainamo/Lehtikuva/AFP

Uma pessoa morreu e dez ficaram feridas depois de serem atacadas nesta terça-feira (1º) em um centro de ensino profissionalizante em Kuopio, no centro-leste da Finlândia, informaram autoridades locais. De acordo com a imprensa local, o suspeito, um homem que está entre os feridos, invadiu na parte da manhã uma aula no instituto de formação profissional de Savo, que acolhe alunos do ensino médio e adultos, munido de um sabre.

"O suspeito estava com uma espécie de arma branca", confirmou à AFP um porta-voz da polícia finlandesa, sem confirmar se tratar de um sabre. "Ele atingiu uma jovem no pescoço com um sabre e depois no abdômen", contou uma testemunha à imprensa local. O agressor também acionou "uma espécie de pequena bomba de fabricação caseira", acrescentou.

Outra testemunha, Roosa Kokkonen, que trabalha perto do estabelecimento, disse ao canal MTV que uma professora saiu correndo com sangue nas mãos. "Enquanto eu ajudava a professora, comecei a ouvir outros pedidos de socorro. Os estudantes fugiam e entravam na minha garagem", acrescentou Roosa Kokkonen. Ela também relatou à agência de notícias finlandesa STT que os alunos descreveram a arma usada no ataque como "um sabre longo", que o agressor "começou a sacudir (...) na sala".

As circunstâncias do ataque ainda estão confusas, bem como as motivações do suspeito. "Trata-se de um homem, um cidadão finlandês", limitou-se a escrever a polícia no Twitter. Ele também estaria com uma arma de fogo. No Twitter, o primeiro-ministro finlandês, Antti Rinne, condenou o ataque, que ele descreveu como "chocante".

Embora crimes violentos sejam relativamente raros no país nórdico de 5,4 milhões de habitantes, a Finlândia já viveu dois assassinatos em massa em escolas no final dos anos 2000. Em 2007, um jovem de 18 anos matou sete estudantes e o diretor de uma escola em Tuusula, ao norte de Helsinque, antes de se matar. Em setembro de 2008, um estudante matou 10 pessoas em uma escola profissional em Kauhajoki (oeste), antes de também se matar.

Em agosto de 2017, um requerente de asilo marroquino de 22 anos esfaqueou fatalmente duas mulheres e feriu outras oito em Turku (sudoeste da Finlândia). Abderrahman Bouanane foi condenado em junho de 2018 a prisão perpétua por assassinato e tentativa de assassinato de caráter terrorista.

Fonte: AFP