Homem é morto a tiros no Centro de Abreu e Lima, no Grande Recife

 Foto: Reprodução/WhatsApp

Um homem de 39 anos foi assassinado no início da tarde deste sábado (25), no Centro de Abreu e Lima, no Grande Recife. O crime aconteceu por volta das 12h em uma das áreas mais movimentadas da cidade, no cruzamento da Avenida Duque de Caxias com a Rua Nossa Senhora Aparecida.

De acordo com o delegado Adyr Almeida, plantonista no Departamento de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP), a vítima estava subindo em uma moto quando foi atingida por vários tiros.

As pessoas que estavam por perto na hora do crime ficaram bastante assustadas. “O crime foi praticado bem no centro da cidade. O autor dos disparos foi apenas um homem, mas o carro usado por ele para fugir era conduzido por outro homem”, destacou o delegado.

A polícia também apurou que a vítima teve envolvimento em uma quadrilha que agia em Paulista, também no Grande Recife, e já havia sido preso por crimes como homicídio. “Ele chegou a passar 13 anos preso, mas estava em liberdade há um ano e meio”, disse Adyr Almeida.

A perícia preliminar realizada no local do crime pelo Grupo Especializado de Perícias em Homicídios (GEPH) apontou que a vítima estava de costas quando foi atingido por pelo menos oito tiros.

“Foram encontradas oito lesões de entrada nas costas e três de saída na frente. Os disparos foram na nuca, costas e ombro. Todos de calibre .380. Não tinha lesão de defesa e ele provavelmente estava de costas para o atirador”, observou a perita criminal Raissa Fontes.

O corpo foi encaminhado para o Instituto de Medicina Legal (IML), no bairro de Santo Amaro, na região central do Recife. Um inquérito policial foi aberto para identificar autores e motivação.

Assassinatos
Pernambuco registrou 3.466 homicídios em 2019, de acordo com a Secretaria de Defesa Social (SDS). O número é 16,9% menor que os 4.173 crimes violentos letais intencionais (CVLIs) computados em 2018.

Cerca de 66,68% dos crimes tiveram relação com o tráfico de drogas e outras atividades criminosas. Em segundo lugar vêm os conflitos na comunidade, que corresponderam a 16,62% dos casos. Depois, os conflitos afetivos ou familiares, sem contar os feminicídios, estiveram ligados a 3,98%. Os latrocínios, que são roubos seguidos de mortes, foram associados a 3,87% dos casos.

Fonte: G1 PE