Mulher sem mão tem benefício do INSS negado por não poder assinar papel

Foto: Reprodução/Rede Amazônica

Uma mulher sem mãos e pernas teve uma verdadeira dor de cabeça. Cleomar Marques foi impossibilitada de conseguir benefícios do INSS por não poder assinar os documentos oficiais que autorizam o pagamento do auxílio. A ex-sinaleira mora em Porto Velho (RO). As informações são da Rede Amazônica.

Cleomar contou à Rede Amazônica que entrou com três pedidos no INSS em 2019, mas todos foram negados. Em um deles, a recusa aconteceu porque ela não poderia assinar os papéis. "Uma servidora puxou os papéis e perguntou: 'quem vai assinar? Você assina?'. Eu disse que não podia assinar, mas sim a minha filha ou minha mãe. A mulher então olhou e disse: 'ah, então não vale'. Daí ela pegou, rasurou o papel e jogou fora", disse.

Após a recusa, Cleomar entrou com uma nova solicitação, dessa vez para tentar um benefício assistencial à pessoa portadora de deficiência. Este também foi negado, pelo fato dela ter uma renda per capta familiar acima de 1/4 do salário mínimo.

No terceiro requerimento, o INSS alegou "falta do período de carência" e também recusou o pedido.

A ex-sinaleira disse que precisa do auxílio porque não pode trabalhar. A filha dela fica em casa para ajudá-la nas necessidades básicas, como alimentação e banho. Cleomar conta ainda que as duas atualmente dependem de doações para sobreviver.

"Olha, é um constrangimento para mim tudo isso. Eu trabalhava, tinha minha vida e agora sou dependente dos outros. É a minha filha, única que mora comigo, que faz tudo para mim", desabafa, em entrevista à Rede Amazônica.

Fonte: Redação iBahia