Flamengo atropela o Athletico-PR e conquista título inédito da Supercopa do Brasil

Alexandre Vidal / Flamengo

Brasília - O Flamengo é campeão da Supercopa do Brasil 2020. Enfrentando o Athletico-PR pela terceira edição do torneio que reúne os campeões do Campeonato Brasileiro e Copa do Brasil, o rubro-negro carioca foi quem comemorou a vitória por 3 a 0, no Estádio Mané Guarrincha, e o título inédito em sua história. Os gols foram anotados por Bruno Henrique, Gabigol e Arrascaeta.

Como era de se esperar, as duas equipes protagonizaram uma partida de alto nível do início ao fim. Característica da equipe comandada por Jorge Jesus, o Flamengo conseguiu pressionar o adversário e criou as melhores chances no primeiro tempo. Aos 14 minutos, Gabigol recebeu na direita e cruzou com perfeição na cabeça de Bruno Henrique para abrir o placar.

Dominando a decisão, o Flamengo seguiu criando as principais oportunidades do jogo. Após o vacilo de Márcio Azevedo, ao tentar recuar a bola de peito para Santos, Gabigol se antecipou para tirar do goleiro e mandar a bola para o fundo das redes.

A resposta do Athletico-PR veio somente no fim do primeiro tempo, com duas boas chances. A primeira foi com Marquinhos Gabriel, que invadiu a grande área, passou por Rodrigo Caio e bateu cruzado para boa defesa de Diego Alves. Em seguida, foi a vez de Rony criar perigo à meta de Diego Alves. O camisa 7 encontrou Erick, que não conseguiu desviar para o gol.

Após o intervalo, o Athletico voltou com mais organização e tentou criar chances para empatar a decisão. Aproveitando os espaços deixados pela equipe paranaense, o Flamengo encaixou um contra-ataque mortal com o velocista Bruno Henrique, que deixou Arrascaeta na cara do gol para fechar a conta e selar o título inédito da Supercopa do Brasil.

Após conquistar o primeiro troféu na temporada, o Flamengo se prepara para mais uma disputa por título, dessa vez válido pela Recopa Sul-America, quando enfrenta o Independente del Valle, do Equador, na próxima quarta-feira. A bola rola às 22h30 (de Brasília).

Fonte: O Dia /  Lucas Oliveira