Polícia alerta para tentativa de golpe envolvendo programa de recuperação de celular roubado

 Foto: Secretaria de Defesa Social/Divulgação

A polícia de Pernambuco descobriu uma tentativa de golpe envolvendo o Programa Alerta Celular, que localiza telefones roubados e devolve aos donos dos aparelhos. Segundo o tenente-coronel Jonas Moreno, que coordena a iniciativa, bandidos enviam mensagens de texto (SMS) informando que o celular foi recuperado e pedindo para a pessoa entrar em um site falso e fornecer dados.

Dessa forma, os criminosos passam a ter acesso à senha do aparelho. De acordo com Moreno, a descoberta ocorreu a partir de denúncias de pessoas que procuraram a Secretaria de Defesa Social (SDS). “Conseguimos impedir que as pessoas caíssem no golpe. Mas, mesmo assim, é preciso deixar claro que não enviamos mensagem de texto para informar que o telefone foi localizado”, afirmou.

O golpe, segundo Moreno, é chamado de fishing, ou pescaria, em inglês. Os bandidos tentam pescar a senha por meio de um link que leva para uma página que não existe.

Na mensagem de texto, os criminosos avisam que um determinado celular foi localizado pela polícia e que está em uma delegacia do estado. Além disso, fornecem um suposto link para a pessoa saber o endereço do distrito policial.

É através deste link que os bandidos aplicam o golpe. “Eles pedem para a pessoa digitar a senha do celular e depois trocam. Assim, a pessoa fica com a aparelho bloqueado e inutilizado, e os criminosos podem ficar com o equipamento”, explicou.

Ainda de acordo com o tenente-coronel, o Programa Alerta Celular não envia mensagens de texto para comunicar que localizou o telefone roubado. O procedimento é feito por intimação ou por e-mail, sem pedir senhas ou dados pessoais. “Se receber esse aviso com pedido para clicar em algum lugar, saiba que é golpe”, disse.

O oficial também disse que a polícia está aperfeiçoando as formas de comunicação. “Estamos estudando a forma de mandar um novo e-mail para a pessoa que já está cadastrada no programa, mas sem pedir informação pessoal”, contou.

Ainda segundo Moreno, desde a criação em 2017, o Alerta Celular já conseguiu recuperar 20 mil telefones. “Antes da iniciativa, a gente pegava 30 celulares por mês. Agora, chegamos a quase mil por mês”, declarou.

Programa
A recuperação dos celulares acontece após a conferência do Imei, sigla em inglês para Identificação Internacional de Equipamento Móvel. É uma série de códigos numéricos que todo aparelho possui com registro na Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel).

Esse número se obtém com uma consulta à nota fiscal ou à caixa do aparelho. Além disso, pode ser encontrado usando o teclado do próprio celular: basta digitar *#06# que o código aparece na tela (uma série de 15 dígitos).

Para a polícia, o Imei é o dado mais importante dentro do Alerta Celular, mas também é necessário informar o CPF do dono do aparelho, e-mail e um telefone de contato. Para fazer o cadastramento, é preciso entrar no site da Secretaria de Defesa Social e acessar a ferramenta Alerta Celular, no painel "Destaque", no lado direito da página.

Fonte: G1 PE