Polícia Federal apreende dinheiro em geladeira e freezer em operação contra tráfico internacional de drogas

Foto: Reprodução

A Polícia Federal desencadeou, nesta terça-feira (23), a Operação Estatueta em quatro estados para desarticular um grupo suspeito de tráfico internacional de drogas e lavagem de dinheiro. Entre os chefes da quadrilha, segundo os investigadores, está um ex-policial federal e um alemão que mora no Recife.

Foram emitidos pela 13ª Vara da Justiça Federal dez mandados de prisão temporária e 11 de busca e apreensão em Pernambuco, São Paulo, Acre e Ceará. Durante a ação, policiais encontraram dinheiro escondido dentro de uma geladeira e de um freezer. O valor total apreendido não foi informado.

A PF afirmou que o alemão suspeito de chefiar a quadrilha mora no Recife com a mulher, que é brasileira e também suspeita de fazer parte da quadrilha. O ex-policial federal alvo da ação já foi preso por tráfico de drogas cumpriu pena, exercendo atualmente a advocacia, segundo os investigadores. Os nomes deles não foram divulgados.

Além dos mandados, a Justiça Federal determinou a apreensão de três veículos, bloqueio contas bancárias de nove pessoas físicas e jurídicas, sequestro de seis imóveis e afastamento do sigilo fiscal de nove pessoas físicas e jurídicas.

Cerca de 60 policiais federais cumprem as ordens judiciais simultaneamente no Recife, Rio Branco (AC), Fortaleza e São Bernardo do Campo, na Região Metropolitana de São Paulo.

A investigação começou em 2018 e descobriu que os criminosos realizavam tráfico de cocaína na fronteira entre o Brasil e a Bolívia. Eles enviavam a droga fracionada em estatuetas semelhantes à de Buda para a Alemanha, na Europa, de onde veio o nome da ação.

O grupo "lavava" o dinheiro do tráfico comprando imóveis na Região Metropolitana do Recife - levando em conta apenas os valores declarados no registro dos imóveis, os bens apreendidos ultrapassam a quantia de R$5 milhões, apontou a Polícia Federal.

Dos dez mandados de prisão, cinco foram cumpridos em Pernambuco, um no Ceará e dois em São Paulo. Outros dois foram para alvos no Acre, sendo que um deles já estava preso por tráfico.

Fonte: G1