Cantor Cauan apresenta melhora e é transferido da UTI para o quarto

Reprodução - Facebook

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O cantor sertanejo Cauan Máximo, 38, que faz dupla com Cleber, foi transferido da UTI (Unidade de Terapia Intensiva) para o quarto na tarde desta segunda-feira (24). Cauan estava internado na UTI de um hospital em Goiânia desde o dia 15 de agosto com complicações pela Covid-19.

O artista segue com cerca de 50% do pulmão comprometido (já chegou a ser 70%) e agora no quarto faz fisioterapia e exercícios para esta parte do corpo. De acordo com sua assessoria, ele está debilitado, mas bem, já sem máscara, embora continue a usar oxigênio.

Em vídeo gravado por ele direto do quarto, o músico agradeceu a Deus e aos fãs que mandam mensagens diariamente. Ele se diz emocionado por conta de toda a rede de apoio e o cuidado de médico e enfermeiros que o tratam como filho. "Que Deus possa retribuir as orações de vocês. Meus pais ainda estão internados e eu peço para unirmos as orações em prol da saúde do meu pai", disse.

O pai dele, Joao Luiz Maximo, teve uma piora clínica nas últimas horas. Cerca de 24 horas antes, ele havia tido uma leve melhora. O senhor permanece em estado grave e dependente de terapia a base de oxigênio. Já a mãe, Shirley Máximo, entre os três, é a que apresenta melhor quadro clínico. A mãe de Cauan permanece estável com necessidade esporádica de oxigênio e se recupera no quarto.

Segundo a equipe da dupla, Cauan começou a sentir febre e dores no corpo na sexta-feira, dia 7 de agosto. Ele realizou exame na segunda-feira seguinte (10) e teve o diagnóstico confirmado na terça (11).

Na quarta-feira (12), o músico realizou raio-x do tórax e o resultado já apontou que o pulmão estava comprometido em mais de 50%. Ele foi internado imediatamente.

A namorada do cantor, Mariana Moraes, também teve diagnóstico de Covid-19. Segundo Fernando, irmão de Cauan que é médico, Cauan não sabe como e nem quando ficou exposto ao vírus. "É muito difícil de saber realmente como pega", explicou. "Eu já passei por isso, tive o vírus no mês passado, estava na mesma situação, internado na UTI."

Fernando, ao Encontro com Fátima Bernardes, contou que sempre compartilha sua experiência com Cauan para incentivá-lo. "Eu digo para ele: 'Irmão, vai para cima, vai dar certo, vamos colaborar com todo o tratamento, e da mesma forma que eu fui curado você vai ser também'".

Fonte: Folhapress