De Fortaleza, surfista parte de kombi para viagem pela América Latina

Foto: Arquivo Pessoal

Conhecer lugares novos, viver outras culturas, surfar em diferentes mares. O que parece sonho é a realidade de Suy Melo, surfista maranhense que mora no Ceará há mais de dez anos. Depois de muitas experiências na estrada, ela resolveu avançar em mais um nível de aventura: comprou uma kombi, reformou e pretende partir em uma viagem pela América Latina tendo o veículo como lar.

Nomeada em homenagem à mãe - com quem a viajante aprendeu a gostar de dirigir -, a Kombi Gracinha foi ideia que surgiu em meio a uma viagem de bicicleta, na qual Suy percorreu o litoral nordestino ao lado de uma amiga.

“Quando passamos por Pipa, no Rio Grande do Norte, eu conheci um cara lá que morava em uma kombi fazia seis anos, era instrutor de voo, um ‘coroa’ super massa. Mulher, eu me encantei. Quando eu vi a kombi dele super simples e o cara de boa, feliz, eu pensei: ‘quero isso para mim’. Em março de 2019, eu comprei. Ainda faltam uns detalhes mas é minha casa”, conta.

O veículo também foi palco para a apresentação de TCC da surfista, que se formou em Teatro pela Universidade Federal do Ceará no início do ano. Segundo ela, a ideia inicial era partir logo após a formatura, mas devido à pandemia, os planos tiveram que ser adiados.

Ao lado da namorada e da mesma amiga que a acompanhou anteriormente, Suy pretende agora sair em julho de 2021, atravessar todo o território brasileiro e passar por países como Argentina, Chile e Colômbia. “O diferencial das outras viagens para a de agora é que eu quero passar pelos lugares que passei e parar para surfar”, afirma.

Para se sustentarem financeiramente durante o percurso, elas planejam a apresentação de um espetáculo musical, além da venda de camisetas e adesivos personalizados. A viajante também resolveu compartilhar todo o processo nas redes sociais, desde a reforma do veículo até os registros dos futuros destinos. O perfil @kombigracinha no Instagram já conta com mais de mil seguidores.

Foto: Arquivo Pessoal


Adaptações
De acordo com Suy, desapego é palavra-chave quando se escolhe esse estilo de vida. Na necessidade de aderir ao minimalismo, ela se desfez de eletrodomésticos, roupas, livros e diversos outros excessos para que sua vida coubesse dentro do veículo. Entretanto, essa sentimento não é algo do momento, mas vem desde a infância durante viagens com a família.

“A gente fazia muito essas viagens de igreja. Eu sou do interior do Maranhão, então era o maior evento quando íamos para a praia. Viajamos muito também porque meu padrasto era pastor, então eu mudei muito de escola no meio do ano. Sempre era aquela adaptação. Peguei logo cedo esse desapego”, relembra.

Dentre as adaptações necessárias, a surfista encomendou móveis que transformaram o corpo do veículo em casa, além de instalar uma bateria estacionária, que permite com que o local tenha acesso a energia elétrica. Apesar de já ter cama, cozinha e até um sanitário desenvolvidos para o espaço reduzido, a surfista ainda depende da ajuda de pessoas no percurso, seja para estacionar na casa de alguém, seja para tomar um banho.

Movida pelo desejo de desbravar o mundo, Suy também lida com os afetos que construiu na capital cearense, cidade para a qual sempre volta. Para ela, todas essas trocas e encontros são o que mais fazem valer a pena os caminhos traçados pelo mundo.

“Os encontros me inspiram muito. Conhecer outras pessoas, outras culturas, outras religiões. Lógico que isso não impede de me instalar em um lugar, mas a ideia do deslocamento interfere em mim de alguma forma. O melhor é exatamente isso: me colocar nesse lugar que não é tão confortável. A galera vê no Instagram e pensa que é só turismo, que tem que ter grana, que é só flores. Não, não é. Tem esse abrir mão de muita coisa. Abrir mão de conforto, de segurança, de investir em uma aposentadoria. Eu escolhi investir nesse projeto”, finaliza.

Fonte: G1 CE