Procurado por matar mulher e atirar na filha há 16 anos, em Pedra (PE), é preso em Campinas

 

Foto: Reprodução/TV Globo

Geneílson Gomes Leal, de 47 anos, foi preso em Campinas (SP) nesta segunda-feira (23) depois de 16 anos foragido. Ele é acusado de matar a mulher e atirar contra a enteada e uma filha em 11 de agosto de 2004, na cidade de Pedra (PE).


Geneílson vivia na região do Jardim São José, onde foi localizado, e trabalhava com bicos, segundo a Polícia Civil. Há informações de que ele fugiu para a região logo depois do crime. O caso foi tema de um episódio do programa Linha Direta, da TV Globo.


Em Campinas, Geneílson tinha formado uma nova família. Segundo a Polícia Civil, ele teve um filho com a nova companheira e tinha dois enteados. Capturado pela equipe do Setor de Investigação e Estratégica (SIE) da 1ª Seccional da cidade, o homem fica à disposição da Justiça.


De acordo com investigadores, Geneílson foi localizado após a Polícia Civil de Pedra (PE) receber a informação de que o procurado estaria trabalhando em uma olaria em Campinas.


Após trabalhos dos investigadores, eles localizaram o suspeito em um imóvel nesta segunda. De acordo com a equipe, em um primeiro momento ele disse que se chamava José e era natural da Bahia. Após a apresentação de dados e do mandado, Geneílson teria confessado o crime.


O registro do caso aponta que o acusado foi mandado embora de casa pela professora depois de anos de violência contra ela e a família. Ele não teria aceitado a separação e quis se vingar.


À polícia, o acusado disse que realmente atirou para matar a companheira, a professora Tereza Aparecida Rêgo, e que ele fez isso porque a mulher estava o traindo. Geneílson teria dito ainda aos policiais que atirou contra a filha pois "ela defendia a mãe". A menina sobreviveu.


Fonte: G1 Campinas e região