Fluminense joga para o gasto e derrota a Portuguesa no Maracanã

Daniel Castelo Branco

Rio - Assim como a estreante camisa azul divide opiniões e precisará de tempo para os torcedores se acostumarem, a forma de jogar do Fluminense de Fernando Diniz ainda necessita de mais jogos para convencer e evoluir. No seu terceiro teste na Taça Guanabara, o Tricolor voltou a mostrar bons valores no ataque e deficiências defensivas na vitória sobre a Portuguesa por 3 a 1 - gols de Ezequiel, Yony González e Luciano, com Douglas Eskilo descontando - no Maracanã.

Como está se tornando comum, o Fluminense fez questão de ficar com a bola. A Portuguesa tentou pressionar a saída da defesa tricolor e até atrapalhou, tanto que Airton quase se complicou na entrada da área. Ainda assim, o Tricolor conseguiu chegar ao ataque com facilidade.

O gol saiu logo aos 15 minutos, em cruzamento de Danielzinho que Ezequiel apareceu de surpresa para cabecear e abrir o placar. Minutos antes, a mesma jogada já havia sido tentada por baixo e o lateral parara no goleiro Ruan.

Os tricolores estão se acostumando a assistir a lances em profundidade nos jogos, mas ontem viram menos. Devido ao forte calor, os jogadores tiveram mais dificuldade para se movimentar, errando passes e criando pouco (apenas quatro finalizações na primeira etapa). Tanto que a Portuguesa chegou mais perto do gol em cabeçada de Marcão e em chute de Romarinho defendido por Rodolfo.

Se as penetrações à área não estavam acontecendo, o Fluminense apostou no início da segunda etapa em bombas de longe de Mascarenhas e Ezequiel, que Ruan teve dificuldade para espalmar.

Em evolução, o Tricolor mostrou algumas deficiências na defesa que o torcedor está se acostumando a ver quando o time é atacado. A Portuguesa só não empatou porque o chute de Romarinho bateu no travessão e Rodolfo fez grande defesa em chute de Nilson.

Encurralado, o Fluminense passou a ter mais espaço. E foi assim que Everaldo fez jogada individual e cruzou para Yony González ampliar aos 34. Alívio que mal durou, porque na saída de bola a defesa tricolor bobeou novamente e Douglas Eskilo diminuiu.

Yony González ainda soltou uma bomba na trave antes de o Fluminense marcar o terceiro gol em boa jogada de Bruno Silva, que roubou a bola, tabelou com Mateus Gonçalves e cruzou para Luciano completar o placar, aos 42.

Fonte: O Dia/ Hugo Perruso