Adolescente morta por padastro em Aparecida de Goiânia tentava defender a mãe

Foto: Reprodução/TV Anhanguera

Mariana Santos Silva, de 15 anos, que foi morta pelo padrasto na madrugada desta quinta-feira (21) tentava defender a mãe, Luciane Santos Faria, enquanto eles discutiam. As informações são da Polícia Civil. O homem invadiu a casa da família, no Setor Madre Germana II, e a menina tentou intervir na situação, mas o homem começou a atacá-la com golpes de faca no pescoço.

Natal Ribeiro de Souza teve um relacionamento com a mãe da vítima por dois anos e havia se separado há três meses. “A menina era contra a relação pois o homem bebia muito e era violento com a mãe dela”, conta o delegado Álvaro Melo Bueno, responsável pelo caso.

No momento do ocorrido, Mariana estava em casa com a mãe, e uma irmã. Na outra casa, que fica no mesmo lote, estavam a avó, uma prima, e outras duas irmãs da vítima.

O homem, de 29 anos foi detido após o crime e teve prisão lavrada na tarde desta quinta-feira. “Ele foi interrogado e alegou que antes do cometer o crime havia ingerido bebida alcoólica e então não estava ciente do que estava fazendo”, relata o delegado.

Natal Ribeiro está preso no 4º Distrito Policial de Aparecida. Ele foi autuado por crime de feminicídio e pode ser condenado a 30 anos de prisão. A polícia está ouvindo testemunhas. “Já prestaram depoimentos a mãe, a avó, uma irmã, e a prima de Mariana. Posteriormente iremos ouvir as outras irmãs e vizinhos”, finaliza o delegado.

*Larissa Lopes é integrante do programa de estágio do convênio entre Ciee e Mais Goiás, sob orientação de Thaís Lobo

Fonte: Mais Goiás