Ataque a boate no México deixa 15 mortos e 4 feridos

REUTERS/Edgard Garrido

GUANAJUATO, MÉXICO (FOLHAPRESS) - Pelo menos 15 homens morreram e quatro ficaram feridos na madrugada deste sábado (9) após um ataque armado a uma boate em Salamanca, no estado mexicano de Guanajuato.

"Foram 15 homens mortos", disse à AFP, por telefone, Juan José Martínez, porta-voz da Procuradoria de Guanajuato, onde atuam grupos que se dedicam ao roubo de combustível e alvos de uma forte operação policial e militar.

Os homens abriram fogo ao chegarem à boate La Playa e fugiram em seguida. Três homens e uma mulher foram levados para um hospital da região. Os feridos ainda não foram identificados.

De acordo com testemunhas ouvidas pela mídia local, cerca de 20 pessoas na boate, e os atiradores tinham seus rostos cobertos.

A boate fica localizada em uma área residencial e comercial da cidade de Salamanca, de cerca de 140 mil habitantes.

O ataque aconteceu horas depois de uma visita do presidente Andrés Manuel López Obrador a Guanajuato, onde participou de um ato público na sexta-feira (8) à tarde.

ROUBO DE COMBUSTÍVEL

Por Salamanca passa o principal duto da estatal Petróleos Mexicanos (Pemex) em Guanajuato, e a cidade é uma das zonas onde atuam grupos dedicados ao roubo de combustível. Esse tipo de crime cresceu muito nos últimos anos no México, provocando perdas de mais de US$ 3 bilhões (cerca de R$ 11,6 bilhões).

A cidade fica a menos de 100 km do município de Santa Rosa de Lima, onde policiais e militares realizaram uma operação contra Juan Antonio Yépez, apelidado de "El Marro" e suposto líder de um cartel dedicado ao roubo de combustível.

López Obrador, um esquerdista de 65 anos que assumiu a presidência em 1º de dezembro, lançou uma operação contra os traficantes de combustível ao mesmo tempo em que ordenou o fechamento de oleodutos para evitar que os mesmos fossem saqueados, o que provocou falta de gasolina em vários estados, especialmente no centro do país.

A gasolina foi distribuída em navios-tanque e os dutos foram reabertos à medida que a vigilância foi reforçada.

Fonte: Folhapress