Delegado responsável pelo caso de Marielle Franco pode ser afastado

ALESSANDRO BUZAS/FUTURA PRESS/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

O delegado responsável pela investigação do caso Marielle Franco e Anderson Gomes, Giniton Lages, deve ser afastado das investigações, segundo o colunista Lauro Jardim. Um novo nome pode ser indicado na próxima semana.

Segundo o jornalista, o motivo oficial para a saída de Lages seria o fato de ele já ter cumprido a missão. Nessa terça-feira (12/3), policiais da Delegacia de Homicídios do Rio de Janeiro e promotores do Ministério Público do estado apresentaram informações sobre a primeira fase das investigações da execução da parlamentar e do motorista dela, crime ocorrido em 14 de março do ano passado.

Nessa terça-feira, agentes cumpriram mandados de buscas e apreensão e prenderem dois suspeitos apontados de serem o atirador e o motorista do carro usado na ação. Ronnie Lessa é policial militar reformado e Élcio Vieira de Queiroz é ex-PM.

Investigação
Giniton Alves foi acusado anteriormente pelo miliciano Orlando Oliveira de Araújo, conhecido como Orlando Curicica, de o ter pressionado para confessar o crime, conforme noticiou o Jornal Nacional. O ex-policial prestou depoimento ao Ministério Público Federal após ser apontado como um dos participantes da execução de Marielle.

A informação levou a Polícia Federal a abrir um inquérito para investigar a conduta dos agentes da Delegacia de Homicídios no caso. Lages, no entanto, continuou à frente das investigações.

Fonte: Metrópoles/Thaís Paranhos