De virada, Vasco vence o Atlético-MG e cala o Independência nos acréscimos

Twitter/Vasco

Belo Horizonte - Foi com emoção, nos acréscimos, que o Vasco arrancou, de virada, a vitória por 2 a 1 sobre o Atlético-MG, nesta quarta-feira, no Independência. De cabeça, Otero abriu o placar. Decisivo, Rossi entrou no segundo tempo e, de pênalti, empatou e fez o passe para o gol de Marcos Júnior, que garantiu os três pontos em Minas Gerais, e aprofundou ainda mais a crise do Galo no Brasileiro.

Com dez finalizações no primeiro tempo contra cinco do Atlético, o Vasco provou que não foi a Belo Horizonte para passear. Com Andrey e Marrony como novidades no lugar de Marcos Júnior e Rossi, respectivamente, o Cruzmaltino aproveitou a desorganização dos donos da casa para se impor.

Foi uma baita sustos, mas a cobrança de falta de Otero que explodiu no travessão foi o lance mais perigoso do Galo no início. O Vasco respondeu com chances reais de marcar, com Ribamar, Andrey e Talles Magno, que cabeçou uma bola na trave no fim do primeiro tempo e cabeceou uma bola na trave e ganhou a maiorias das jogadas individuais pela esquerda.

O jogo aberto e com oportunidades para os dois lados agradou ao torcedor, principalmente por não perder a intensidade na volta do intervalo. Logo no primeiro minuto, Marrony arriscou da entrada da área e obrigou Cleiton a fazer difícil defesa. Na bola parada, o Atlético apostava em Otero. No entanto, foi de cabeça que o apoiador, de 1,64m, abriu o placar, após cobrança de escanteio, aos 14 minutos.

A resposta foi quase que imediata. Com o auxílio do VAR, o árbitro Heber Roberto Lopes confirmou o pênalti de Patric sobre Marrony, convertido por Rossi, aos 21 minutos. O atacante, que entrou no lugar de Ribamar, foi a aposta de Luxa para encaixar o contra-ataque. Com Geuvânio e Ricardo Oliveira, o Galo reforçou o ataque, mas não conseguiu vencer a defesa cruzmaltino.

O mesmo não pode se dizer do Vasco. Nos acréscimos, o Rossi descolou um difícil cruzamento que encontrou Marcos Júnior. Ao se aproveitar da furada de Patric, o volante dominou e fuzilou o gol de Cleiton para garantir a vitória, aos 48 minutos.

Fonte: O Dia / Marcelo Bertoldo